Como são frágeis as máscaras que transvestem o “cidadão de bem”

Como são frágeis as máscaras que transvestem o “cidadão de bem”, a verdadeira face desses seres não resiste quando é anunciada uma tragédia com aqueles que pensam diferente deles. São verdadeiros carniceiros que emergem do profundo vazio de suas almas para se alimentar da dor e sofrimento alheio com a mesma disposição e satisfação que as hienas exercem e demonstram ao saborear a carniça de outros animais, o sorriso em suas faces é o mesmo.
Fico aqui pensando o que leva essas pessoas a adotarem esse comportamento desumano. Penso se pode ser uma busca desmedida, a base do custe o que custar, pelos holofotes das mídias sociais, mas a verdade é outra.
Custamos a acreditar mas a verdade é simples, desde quê o mundo é mundo travou-se uma luta do bem contra o mal, uma luta onde o amor combate o ódio. Sim, existem pessoas más por natureza, pessoas que sentem prazer na dor do próximo, gozam com o sofrimento alheio. Porém, existem muitos que se deixam levar por uma onda movida pela ignorância. Por isso, é de extrema importância que não nos calemos diante dessas pessoas, é preciso combate-las com a mesma disposição que nos atacam, mas sem nos igualarmos. Nossas armas são o diálogo e a verdade, somos fortes e a violência é a arma dos fracos.

Caio Magalhãesolulista

Um comentário em “Como são frágeis as máscaras que transvestem o “cidadão de bem”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.